Como Aprender a Aprender

Embora desejemos aprender coisas novas e avançar em nossos estudos, muitas vezes os textos que precisamos memorizar são complicados e perdemos a motivação. Essa é uma das razões pelas quais é importante ter algumas estratégias para aprender que nos ajude a organizar e alcançar objetivos a médio e longo prazo.

Exercícios – Pratique o que aprendeu

Como Aprender a Aprender

Trabalhe na prática, e não da teoria. Na medida do possível, se o assunto permitir o uso de exercícios, testes ou exames, será muito útil o uso da memória ativa para se acostumar às vicissitudes de um teste final e evitar o estresse.

Nos livros didáticos, essa prática é cada vez mais usada, e o professor deve ser uma parte ativa desse tipo de estratégia de estudo. Alunos com maior probabilidade de implementar e concluir exercícios são notavelmente melhores ao executar as provas.

Prática distribuída – Faça pausas

O mais comum entre as pessoas é ajustar as horas de estudo para o dia do exame o máximo possível. Sim, podemos deixar para os últimos dois dias, quando a pressão espreita, é mais fácil ver a obrigação quando a hora chegar.

O problema é que não tem nada mais complicado do que deixar para o último momento. Com a prática distribuída, se fizermos e assimilarmos um pouco todos os dias e, mesmo se em intervalos espaçados o máximo possível nos dia a dia, obteremos muito conhecimento e confiança em relação ao assunto.

Como aplicar isso? A partir do dia em que souber de uma prova, programe um curto período de estudo para esse teste na sua agenda. Por exemplo, você pode marcar para aprender e revisar sobre o tema na segunda-feira, quarta e sexta-feira, estude 60 minutos sobre o assunto.

Além disso, a repetição dos mesmos conceitos se fortalecerá muito melhor na memória. É uma das estratégias de aprendizagem que funciona melhor.

A importância de administrar o tempo de estudo tem sido recebido pouca relevância na escola tradicional ou os professores simplesmente não sabem como transmitir a importância disso para as pessoas, mas é fundamental.

A eficácia está além da dúvida, tanto nos estudos de longo prazo quanto no aprendizado de um dia para o outro. Espaçar ou distribuir o máximo possível as horas de estudo é fundamental. Isso se aplica a todos.

Prepare perguntas – Estude do seu jeito

Esta estratégia é a forma de explicação em que você se pergunta por que é assim. A melhor resposta vem depois de fazer a melhor pergunta. Incentive-se a gerar as perguntas de modo que a resposta seja o mais individualizada possível.

Essa estratégia é muito eficaz para criar respostas pessoais e, assim, obter uma âncora muito firme na lembrança.

Nós gostamos deste método de estudo, especialmente, porque ele tenta estimular a memória de maneira mais pessoal. Quanto mais pessoal a pergunta, mais ela se encaixa na resposta apropriada para o entendimento de cada um.

Por exemplo:

Em biologia, se tivermos que estudar as leis de Mendel (o sistema de transmissão de herança genética), devemos nos perguntar por que isso é assim e chegar a conclusões igualmente válidas que nos sirvam para entender o conceito de uma maneira particular.

Isso vincula a aprendizagem a um entendimento paralelo muito útil e poderoso. Outro detalhe importante é que quanto mais conhecimento de um assunto mais fácil será para elaborar a melhor pergunta.

A chave para aplicar esta estratégia é fazer perguntas. Descubra o motivo das coisas durante o processo de estudo e o entendimento será seu. Em seguida, encontre sua resposta com base no que você estudou e você perceberá que a melhor maneira de entender está associada a essa estratégia.

Agrupar assuntos – aprenda sobre o mesmo assunto de maneirasdiferentes

Agrupar assuntos se refere ao estudo de dois ou mais temas relacionados ou que podem se complementar. A prática distribuída começa e, em seguida, é incluído na agenda o mesmo assunto, mas com um tópico diferente que passe a estimular a criatividade entre os dois.

Estudos mostram que funciona muito bem para matérias de ciências e matemática. Por exemplo, investigar a simplificação de equações pode ser combinado com grande parte da área de algébrica.

Ainda existem poucos estudos que auxiliam na prática de complementar os assuntos. No entanto, isso pode ser feito intuitivamente.

Aprender história da arte enquanto estuda algum tipo de arquitetura pode levar a pensamentos muito coerentes e criativos. Da mesma forma, alguns problemas de engenharia industrial podem complementar o desenvolvimento de formas de design de interiores ou resolver problemas de design em pequenos espaços.

Estudos mostram que a prática intercalada ajuda a reter, melhor e por mais tempo, informações, mas, acima de tudo, ajuda a ter mais raciocínio e entendimento.

Obviamente, isso não é o mesmo para todos, mas é verdade que implementar e combinar essa estratégia com o trabalho distribuído ajuda a uma pessoa a descobrir por si mesma, o que funciona melhor para ela.

A melhor maneira de usar essa estratégia é incorporar ao aprendizado. Organize-se a partir do bloco de tarefas distribuídas e inclua para usar em combinação com outros.

Comece com a estratégia de distribuição primeiro e só então acrescente novos temas relacionados ao conteúdo para complementar o que você já conhece.

Auto-explicação – Ensinar alguém o que aprendeu

Como Aprender a Aprender

A auto-explicação é semelhante à elaboração de perguntas.  Requer que o indivíduo chegue a uma conclusão sozinho e saiba como explicar o problema ou a teoria à sua maneira.

Eles geralmente confiam no que já sabem para complementar o novo estudo e, dessa forma, preparam um “arquivo” de conhecimento pessoal.

Essa estratégia é mais eficaz nos estágios iniciais do que quando o assunto é aprendido. No entanto, parece uma estratégia mais complicada do que as outras. Por outro lado, a grande vantagem é que ela é aplicável a praticamente qualquer assunto ou questão.

Não existem muitos estudos que garantam que esse tipo de estratégia de estudo ajude a reter as informações a longo prazo, no entanto combinado com outros métodos traz bons resultados.

Essa estratégia poderá ser muito interessante para você, pois pode ser usada em situações, por exemplo, ajudando outras pessoas a entender o assunto no mesmo local que você faz os estudos.

Se você puder explicar a um colega do seu próprio jeito, estará extraindo seu próprio raciocínio, com o qual estará entendendo e integrando bem. Outra maneira é escrever suas próprias perguntas sobre o assunto e depois encontrar e escrever as respostas.

Resumos – Faça resumos do que estudou

Resumo já deve ser óbvio para você. Trata-se de sintetizar as informações valiosas de um texto para manter o essencial. A prática do resumo requer atenção e requer interesse de quem faz.

No entanto, parece que a estratégia difere bastante entre os estudantes. Alguns acham relativamente fácil de usar, enquanto outros parecem ter mais dificuldade, independentemente de serem do grau de escolaridade.

Embora a prática possa levar a melhorar seus resumos, uma vez que é difundida, pode não ser tão semelhante para todos e exigir mais ou menos treinamento.

Você pode aplicar enquanto estuda, após cada leitura de tema, memorizar e reescrever o que você reteve. Com a prática, o resumo é aprimorado e, o mais importante, é que serve para verificação por outra pessoa ou você mesmo.

Suporte com imagens – Crie mapas mentais

Desenho como estratégias de aprendizado é baseado em imagens que relacionamos e criamos para o material de estudo.

É eficaz para ter facilidade na criação de imagens depende do instinto visual e da capacidade dessa disciplina. Nem todo mundo é bom em desenhar. É por isso que não é considerada uma estratégia eficaz (para todos).

Se você é uma pessoa com alto senso visual e gosta de desenhar, é mostrado que isso ajuda a organizar a mente, melhorando a compreensão e estimulando o hábito de estudar.

Grandes personagens da ciência confiaram nessa estratégia para criar invenções que mudaram o mundo, Albert Einstein e Nikola Tesla, entre outros.

Tente visualizar o que você está lendo. Isso pode ajudar a criar perspectiva à ideia, esclarecendo dúvidas em um nível mais geral.

Outra maneira semelhante de aplicar a estratégia do desenho é através do mapeamento mental. Isso ajuda a organizar os conceitos do principal ao secundário. Os mapas mentais são outra estratégia de estudo em si.

Revisar ou reler – Revise tudo que aprende

Como Aprender a Aprender

A revisão é simplesmente reler o conteúdo já estudado. Não há muito mistério, quanto mais você revisa algumas anotações, um texto ou uma leitura, mais fácil é reter seu conteúdo.

Pode se dizer que é a estratégia mais conhecida entre alunos e professores. Crie seu resumo e releia-o até aprender de cor. Ao consumir poucos recursos, é muito fácil de usar, mas sua eficácia a curto e longo prazo é muito baixa.

Crie suas anotações e revise-as no mesmo dia, deixe a ideia amadurecer na sua mente e releia após 24 horas.

Outras estratégias a considerar são recitar o aprendizado, organizar o ambiente, cuidar da saúde (ninguém mal alimentado ou com sono consegue aprender facilmente), procure pensamentos positivos e motivadores que estimulem a começar seu aprendizado.

Leave a Reply