As pessoas estão preocupadas com a forma como as empresas estão usando os dados


Todos os anos há uma competição entre bares em algumas cidades do país e o local ganha com o prato preferido escolhido pelo público. Semana passada fui a um dos bares participantes com alguns amigos e no final conseguimos um formulário para dar nota.

Assim que começamos a preenchê-lo, um amigo logo questionou a quantidade de informações solicitadas e por que estariam pedindo tantas informações pessoais ali. Ele se recusou a preencher o formulário e não votou. Ele não sabia o que eles fariam com suas informações.

Na maioria das vezes, eu, que trabalho em uma empresa de marketing, fico do lado de quem pede os dados. Assisti a este episódio e pensei: Como podemos criar um ambiente confiável na coleta de dados que beneficie clientes e empresas?

Coincidentemente ou não, nessa mesma semana a Adobe divulgou um estudo Relatório de Confiança 2022as questões relacionadas com Dados, Consumidores e Confiança. A pesquisa, realizada com quase 6.000 consumidores e mais de 900 líderes de negócios em toda a região EMEA, deixou isso claro Mais de 70% dos consumidores estão preocupados com a forma como as empresas estão usando seus dados.

De acordo com a maioria dos executivos pesquisados, esse é um fenômeno crescente: 69% dizem que é mais difícil construir e manter a confiança do consumidor hoje do que há dois anos.

De certa forma, minha experiência com meu amigo no bar na prática esclareceu os insights do consumidor revelados no estudo.

Vamos entrar nisso aqui!

Confiança não é negociável

Em cenários incertos e com episódios notáveis ​​de vazamento de dadosOs consumidores estão mais preocupados do que nunca com o uso indevido de suas informações.

De acordo com o estudo, mais de 70% dos consumidores estão preocupados com a forma como as empresas estão usando seus dados, e 67% deles estão pretendem parar de comprar de marcas que fazem uso indevido de seus dados.

Usar dados sem permissão, desconsiderar as preferências do usuário e/ou violar outras políticas de privacidade não será mais tolerado. Todo cuidado é pouco – felizmente.

Devido à crescente falta de transparência e incerteza sobre a segurança real do uso de dados Os consumidores tendem a confiar menos nas marcas. Essa traição de confiança tem implicações opostas ao que nós, como marcas, esperamos de nossos clientes.

Clientes que confiam em uma marca tendem a continuar comprando, recomendando serviços/produtos para outros consumidores, postando avaliações e comentários positivos nas redes sociais da empresa. Clientes confiáveis ​​impulsionam e impulsionam o crescimento dos negócios.

Por outro lado, os clientes que sofrem uma quebra de confiança saem.

A coleta de dados deve gerar um benefício para o consumidor

Quando meu amigo se recusou a preencher o formulário de votação, como comerciante, entendi o valor dessa informação para o negócio que estava coletando. Ao mesmo tempo, presumi que, se a empresa tivesse uma estratégia eficaz e benefícios claros para os clientes, compartilhar esses dados também beneficiaria meu amigo.

São por um lado os responsáveis ​​pelo concurso poderia confirmar a veracidade do voto e teria informações valiosas para conhecer o perfil do barmanpor outro lado, meu amigo poderia começar a receber conteúdo personalizado e dicas sobre o mundo dos bares.

Conhecendo-o, garanto que o deixaria muito feliz.

Mas ele não sabia por que eles estavam coletando esses dados. Não estava claro para ele o que aconteceria com seus dados pessoais. E para ser honesto, eu nem percebi isso – eu estava apenas supondo.

Onde estou indo aqui?

Voltando ao estudo da Adobe, outros dados mostram que 65% dos entrevistados acreditam que sim As informações coletadas em interações digitais beneficiam apenas o negócio, não o consumidor.

Mas isso não é verdade (ou pelo menos não deveria ser).

Deve-se pensar nos dados como uma via de mão dupla onde ambas as partes – empresas e consumidores – têm um benefício mútuo. Enquanto a marca se beneficia das muitas oportunidades que dados bem analisados ​​podem oferecer (mais sobre isso mais adiante), o consumidor ganha experiências personalizadas e comunicações direcionadas.

Use os dados com sabedoria

Criar uma atmosfera personalizada com base nas necessidades do cliente é um fator chave para se tornar uma marca de sucesso – e os dados são essenciais para isso.

Você precisa coletar as informações corretas e também saber como usá-las com eficiência.

Usando os dados de forma inteligente, é possível:

  • Tome decisões, seja mais assertivo e oriente as estratégias de negócios
  • Crie, direcione e personalize seus serviços/produtos que atendem seus clientes
  • Crie campanhas e comunicações que falem diretamente com seu público
  • Atraia e alcance clientes que correspondem à sua solução
  • Tenha interações mais personalizadas e eficientes com seu público

Todos esses pontos listados acima criam valor agregado para o cliente e para a marca. Afinal, uma jornada eficiente e direcionada gera uma boa experiência para o cliente. Um cliente feliz compra mais, recomenda mais e se torna fiel.

Criando um ecossistema de confiança

Como mostram o estudo da Adobe e minha experiência empírica, As preocupações com a segurança dos dados são uma realidade. Portanto, o caminho a seguir para os líderes é realmente priorizar os requisitos relacionados à segurança da informação, cumprir as leis de proteção de dados (como GDPR aqui no Brasil) e criar um ambiente de confiança entre os consumidores.

A coleta de dados reais é uma tarefa sensível e requer muita responsabilidade. É, portanto, um dever dos profissionais usá-los com sensatez. Cabe às empresas assumirem a responsabilidade e serem transparentes com o consumidor.

Além de um compromisso com a boa administração de dados pessoais, nosso trabalho é educar o público e agregar valor ao motivo pelo qual coletamos dados (e como isso os beneficiará também).

Aqui conteúdo de rockPor exemplo, quando você preenche um formulário, exibimos claramente nossos termos ao usuário para fornecer expectativas realistas sobre o que faremos com os dados. Por exemplo: Ao fazer login nosso boletim informativo The Beatsaiba que toda segunda-feira você recebe as melhores tendências de marketing, não uma tonelada de anúncios.

Se meu amigo viu o valor e preencheu este formulário com seus dados, hoje ele pode tomar uma boa cerveja em um bar que não conhece pela cidade com base em recomendações super personalizadas que recebeu.

Ou não – talvez ele tenha caído em outra “armadilha de uso”. ineficiente de arquivos.

Leave a Reply