06

Notícias_07.10

Teatro de rua – cultura aberta ao público

Por Blog Acesso

 

Ao lado do transeunte que observa atentamente, um outro, menos interessado, cochila aproveitando o sol a pino. Enquanto isso, meia dúzia de senhores bem vestidos passam discutindo os problemas da economia e não observam o que acontece ao largo. Logo ali, um aglomerado de pessoas presta atenção aos dois que recriam a cena em que Jesus reparte os pães, instigando a importância de uma divisão igualitária de bens. Esse é o espírito do teatro de rua, encenado para quem queria assistir, sem qualquer regra ou cobrança. Nascido com os ditirambos na Grécia antiga, o teatro foi criado com a função de crítica, de comunicação social expressa de forma artística no espaço público. Porém, com o avanço da modernidade e sua edificação, o teatro separou seu público em frisas, balcões, camarotes e, sob todos eles, a platéia, apossando–se dos locais privados e ganhando um caráter cada vez mais elitizado. Na busca por devolver ao povo o que surgiu em seu meio, movimentos teatrais contemporâneos retornam às ruas com peças que dizem muito sobre os diversos modos de vida, recriando o espaço cênico público.

No Brasil, o primeiro registro de teatro de rua data de 1946, com o O Teatro Ambulante, do Teatro do Estudante de Pernambuco,  que envolvia grandes nomes como Hermilo Borba Filho e Ariano Suassuna. Após essa iniciativa, fizeram história o Movimento de Cultura Popular – MPC , em Pernambuco, que envolveu Paulo Freire e o próprio Suassuna, em 1961; o Centro Popular de Cultura – CPC, da União Nacional dos Estudantes – UNE, no Rio de Janeiro, que tinha à frente Oduvaldo Vianna Filho, o Vianninha; o Grupo Tá na Rua, de Amir Haddad, que ainda atua no Rio de Janeiro; e o Grupo de Teatro Mambembe, criado em 1976, como uma iniciativa do Sesc São Paulo e com direção de Carlos Alberto Soffredini.

Segundo o ator e teatrólogo Rubens José Souza Brito, em seu trabalho Teatro de Rua, princípios, elementos e procedimentos: a contribuição do Grupo de Teatro Mambembe, esses movimentos iniciais do teatro de rua no país já ressaltavam “as funções sociais, culturais, artísticas e políticas do espetáculo teatral que se leva para o espaço público”. Isso, porque essas apresentações seguiam o conceito do estudioso francês Patrice Pavis que afirma que teatro de rua é um teatro cuja “vontade de abandonar o recinto teatral responde ao desejo de levar o teatro a um público que geralmente não assiste a esse tipo de espetáculo, produzir um impacto sociopolítico direto e enlaçar interpretação cultural com manifestação social”.

Esse espetáculo teatral, intencionalmente criado para ser apresentado em locais exteriores, especialmente em ruas e praças públicas, tem se tornado cada vez mais praticado no país. Existem inúmeros grupos de debates sobre o assunto na internet, além de mais de 200 grupos de teatro de rua espalhados pelo país e, há três anos, foi criada a Rede Brasileira de Teatro de Rua.

Mariozinho Telles, integrante e um dos fundadores do grupo Teatro de Roda, do Rio de Janeiro, acredita que essa modalidade faça a alegria do público nas ruas, nas praças, quadras, terreiros, estádios e em outros lugares, atingindo populações sem acesso à cultura e à informação e integrando diferentes contextos. “Para nós, atores e brincantes, o teatro de rua constitui um pequeno complexo cultural que envolve poesia, música, dança, indumentária, culinária e outras tantas formas de aproximação popular”, explica.

De uma nova geração de atores de rua, Abides de Oliveira, um dos fundadores do Joana Gajuru, primeiro grupo de teatro de rua de Alagoas, concorda que esta seja uma oportunidade para levar cultura à população, independente de sua classe social ou poder aquisitivo. “Na rua, a relação entre atores e platéia é muito diferente. Não existe a caixa cênica. Tudo é encenado junto ao público, que tem uma participação maior e pode até influenciar o andamento do espetáculo. A rua permite esse leque de opções, de adaptações. É, por isso, que acredito que a rua seja o espaço mais democrático para o fazer teatral”, afirma Oliveira.

Confira o que rola de Teatro de Rua em sua Região:

Norte

Cia do Lavrado

Teatro da Floresta

Nordeste

Imbuaça

Joana Gajuru

Teatro de Caretas

Associação de teatro de Olinda

Gueto Poético

Movimento teatro de rua no maranhão

Sul

Erro Grupo

Falos & stercus

Grupo Mototóti

Oigalê

Centro-oeste

Cia de Teatro Nu Escuro

Teatro do Concreto

Companhia B de Teatro

Sudeste

Buraco D'Oráculo

Cia Circunstancia

Circo Dux

Companhia Folgazões de Artes Cênicas

Grupo Galpão

Irmãos Brothers

Será o Benedito

Teatro Andante

E os festivais…

Festival de Teatro de Rua de Porto Alegre

Palco Fora do Eixo

Luiza Costa / blog Acesso

 

 
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars
Loading ... Loading ...
Comentários > 5 Compartilhe
 

5 Respostas para “Teatro de rua – cultura aberta ao público”

  1. [...] This post was mentioned on Twitter by Carmen Eugenio, Instituto Votorantim. Instituto Votorantim said: No blog Acesso: Teatro de rua – cultura aberta ao público http://bit.ly/dbEIWg [...]

  2. Tentando ser um pouco mais exato:
    A “rua” é um espaço onde se renovam inúmeras expressões artísticas, ancestrais manifestações e novas linguagens, a sua abrangência é mais ampla do que delimita o significado físico e espacial da expressão, poderíamos começar a diferenciar gêneros teatrais em sua ambientação espacial estabelecendo dois grupos principais: teatro de interiores e de exteriores.
    O TEATRO DE RODA, além de nome do grupo, é um gênero dramático que transita pelos exteriores e por interiores também, é uma especialidade teatral interativa que decorre de manifestação cultural popular, constituindo um singelo complexo cultural que envolve poesia, música, dança e outras manifestações; a “rua” recebe inúmeras culturas, linguagens artísticas e complexos culturais diferentes.
    - Vida longa e políticas públicas para todas as linguagens artísticas e manifestações culturais!
    Mariozinho Telles.

  3. Antonieta Mercês disse:

    Concordo com que “a rua seja o espaço mais democrático para o fazer teatral.”
    Tem-se é que expandir pelas “ruas” do Brasil afora.

  4. Lívia Ferolla disse:

    Olá, bom dia!

    Preciso de informações sobre espetáculos de Rua para projeto no interior de MInas Gerais.

    Aguardo e agradeço.

    Abs,

    Lívia Ferolla

  5. Blog Acesso disse:

    Cara Lívia, muito obrigado por acessar o site e acompanhar as nossas notícias.

    Você poderá encontrar mais informações na matéria publicada pelo Acesso sobre grupos de teatro que atuam em cidades do interior: http://www.blogacesso.com.br/?p=6345

    Qualquer dúvida ou comentário, estamos à disposição.

    Atenciosamente,

    Equipe blog Acesso

Deixe uma resposta


 

 



Licença Creative Commons

O conteúdo da página "Teatro de rua – cultura aberta ao público", disponibilizado no website Acesso, o blog da democratização cultural está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.